Em Guapimirim, quadrilha vendia armas e drogas na Barreira, Caneca Fina, Centro, Limoeiro e Lage

O prefeito de Guapimirim, Zelito Tringuelê, parabeniza o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar pela deflagração da operação Turma do Chapa contra o tráfico de drogas em Guapimirim, Teresópolis, Duque de Caxias e algumas comunidades no Rio de Janeiro, na manhã dessa quinta-feira (27/4). Em Guapimirim, a quadrilha vendia drogas e armas, por exemplo, na Barreira, Caneca Fina, Centro, Limoeiro e Lage. Foram expedidos 11 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão por parte do juiz Rubens Soares Sá Viana Júnior.

“Quero parabenizar o Ministério Público e a Polícia Militar pela operação que fizeram em Guapi. Temos um Poder Público presente e atuante e isso é muito positivo para a população”, felicitou o líder municipal.

“A operação do MP em Guapimirim mostra o tamanho do desafio que temos de enfrentar. Não foi à toa que, logo no início deste governo, decidi criar uma secretaria com atenção na segurança pública. Eu não podia ficar de braços cruzados ouvindo relatos constantes do crescimento da criminalidade em nosso município”, continuou Zelito Tringuelê.

“Não me lembro de muitas prefeituras no Brasil que tenham dado prioridade a esta área, costumando deixar essa competência para os governos estaduais e a União. A nossa administração preferiu assumir sua responsabilidade na segurança e o dever de zelar pela proteção dos nossos cidadãos. Não nos omitimos a isso”, reforçou o vice-prefeito e secretário da Casa Civil, Pastor Ricardo.

“Fico muito satisfeito em saber que tanto o Gaeco quanto a Inteligência da Polícia Militar estão fazendo operações paralelas para combater a criminalidade. É uma batalha constante!”, comentou o secretário municipal de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil, Leonardo Rodrigues.

Unindo forças

A Prefeitura de Guapimirim tem investido pesado no combate à criminalidade e à violência. Criou em fevereiro deste ano, há pouco mais de dois meses, a Secretaria Municipal de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil (SSEOP). De lá para cá, realizou pela primeira vez um curso de capacitação para os agentes da Guarda Municipal, desde que esta foi criada há 16 anos; criou o Grupamento de Operações Especiais (GOE) com o apoio da Guarda Municipal do Rio de Janeiro; adquiriu um cão farejador para a Guarda Municipal, para ajudar no combate ao tráfico de entorpecentes; e firmou uma parceria com as polícias Civil e Militar, ao abastecer viaturas, realizar a manutenção das mesmas e do DPO de Guapimirim, além de custear uma faxineira para a unidade do DPO.

Essa união de forças entre a Prefeitura de Guapimirim e a Polícia Militar possibilitou que a administração municipal arcasse com a reforma do DPO e colocasse mais quatro policiais nas ruas diariamente e um Patamo (viatura).

No último dia 12 de abril, por exemplo, a Guarda Municipal e a Polícia Militar atuaram em conjunto para prender um ladrão que assaltou uma clínica no Centro de Guapimirim. O criminoso foi preso em flagrante e constatou-se que ele já tinha antecedente criminal por tráfico de drogas.

O secretário Leonardo Rodrigues, que é policial civil, disse que as estatísticas mostram que cerca de 90% dos crimes de violência em Guapimirim são ligados ao tráfico de entorpecentes.

Na última quarta-feira (26), o secretário esteve na Chefia de Polícia Civil, no Centro do Rio de Janeiro, para solicitar o aumento do efetivo policial para a 67ª Delegacia de Polícia (Guapimirim) e a criação de um núcleo de inteligência para o enfrentamento à violência.


Uma das promessas de campanha do prefeito Zelito Tringuelê é criar um Centro de Operações, para que a SSEOP possa monitorar a cidade por câmeras espalhadas pelas ruas e possa atuar em tempo real com a Polícia Militar para coibir a criminalidade. O governo tem se empenhado bastante para torná-la uma realidade. As escolas terão prioridade nas ações de repressão tráfico de entorpecentes. O objetivo é combater o aliciamento a crianças e adolescentes.