Notícias sobre "Defesa Civil"

Guapi passará a ter farmácia 24 horas

Postado por Ascom em 20/jun/2017 - Sem Comentários

A Secretaria de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil (SSEOP), por meio da Coordenadoria de Fiscalização de Posturas, realizou no dia 02 de maio, uma reunião com os representantes das farmácias e drogarias de Guapimirim. O objetivo foi implantar a determinação de uma Lei federal, uma Lei Municipal e do novo Código de Posturas, que obrigam as farmácias a funcionarem no plantão de 24h.

A reunião teve início com uma fala do Secretário de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil, Leonardo Rodrigues, que reforçou a importância e a legitimidade da implantação dos plantões. Após chegarem ao acordo de plantões semanais, foi estipulado o prazo de dois meses para que os estabelecimentos se estruturassem para implantação do novo horário de funcionamento. Sendo definido o dia 1º de julho como data inicial.

O Secretário Leonardo Rodrigues, afirmou que será solicitado apoio da Guarda Civil Municipal e da Polícia Militar para reforço da segurança nas proximidades do estabelecimento em funcionamento durante os plantões noturnos. Também ficou definido que as farmácias que estiverem fechadas deverão colocar em local visível, um cartaz informativo com nome, endereço e telefone da unidade que estiver de plantão.

Por fim, foi definido o rodízio dos plantões das farmácias e drogarias do município. A primeira unidade que irá funcionar em horário noturno, entre os dias 02 e 08 de julho, será a Drogaria Tókio, localizada na Praça da Emancipação, 07, no Centro.

A escala das farmácias de plantão também será disponibilizada semanalmente por meio dos veículos de comunicação da Prefeitura.

Defesa Civil de Guapimirim agora tem telefone gratuito

Postado por Ascom em 11/mai/2017 - Sem Comentários

Os guapienses que precisarem ligar para a Defesa Civil municipal agora poderão telefonar gratuitamente para o número 199. Antes, era necessário ligar para um número fixo, cuja chamada era cobrada como ligação convencional.

 “Agora o morador que precisar contatar a Defesa Civil em caso de emergências como enchentes, desastres naturais e risco de desabamento de imóvel, entre outros, poderá fazê-lo de graça. A Defesa Civil funciona 24 horas”, explicou o coordenador da Defesa Civil, Filipe Schorn Coimbra.

 “Esta é mais uma grande conquista da luta incansável em salvar vidas. Apesar de a Lei Federal 12.608 de 2012 determinar que a Defesa Civil tenha um número gratuito, só agora conseguimos, graças ao empenho que tivemos nestes meses de 2017”, destacou o sub-coordenador Vanderson Marmo.

 Vale lembrar que a Secretaria Municipal de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil (SSEOP) está empenhada para instalar a Sala de Monitoramento Meteorológico na cidade. Desse modo, será possível realizar previsões climáticas com maior antecedência e ajudar o órgão a emitir alertas de fortes chuvas com maior brevidade.

Prefeitura liberta pássaros criados ilegalmente em Parque Santa Eugênia

Postado por Ascom em 20/jan/2017 - Sem Comentários

A prefeitura de Guapimirim resgatou nove pássaros que estavam sendo criados ilegalmente em uma residência no bairro Parque Santa Eugênia. Além dos maus tratos, a suspeita é que alguns deles foram caçados de forma predatória. Após a apreensão, os animais foram encaminhados à Área de Proteção Ambiental de Guapimirim (APA) e ao Parque Nacional Serra dos Órgãos (Parnaso) para análise e soltura.
Entre os animais estavam três coleirinhos (Papa-Capim), dois sabiás laranjeira, dois canários da terra e um pixoxó. Além disso, nove gaiolas e 3 alçapões, usados na captura dos pássaros foram apreendidos.
Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Pierre Dutra, a defesa civil recebeu, na quinta-feira (19), uma denúncia anônima de extração mineral na região. No local não foi constatada a informação, pois se tratava apenas de um deslizamento de terra que obstruiu a passagem dos moradores daquele bairro. Entretanto, os agentes identificaram uma residência com pássaros sem a devida documentação.
A Guarda Ambiental solicitou então a presença dos Fiscais Ambientais que, após confirmarem as irregularidades, procederam a apreensão.

Descaso com o dinheiro público

Postado por Cláudio Calabaça em 06/jan/2017 - Sem Comentários

Uma cidade que parece ter parado no tempo. É essa a definição que prefeito de Guapimirim, Zelito Trinquelê, usa para explicar as condições estruturais que encontrou ao assumir a prefeitura nesta semana. Ao continuar o trabalho de avaliação das secretarias, nesta quinta-feira (05), o prefeito mostrou-se preocupado com a quantidade de materiais comprados com dinheiro público e que não tiveram a finalidade adequada.

Em um galpão localizado no anexo da sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, no bairro de Bananal, toneladas de lixos se encontram misturados a outros mobiliários da prefeitura que se quer utilizados. Ao menos dez carros e duas unidades móveis de saúde estão parados e abandonados irregularmente por falta de manutenção. Além dos veículos, inúmeros televisores, materiais apreendidos, cadeiras escolares e livros didáticos novos de diversas disciplinas foram deixados no local sem qualquer cuidado.

Para Zelito, a situação é um retrato dá má administração e do descaso com os moradores de Guapimirim.

“Não é preciso ser prefeito ou morador de Guapimirim para narrar a frustração de ver a nossa cidade dessa forma. É um desperdício de dinheiro e um descompromisso com o conhecimento. A minhão gestão não pode nem vai compactuar com a má prestação dos serviços. No que se referem aos livros, convidarei o secretário municipal de Cultura para iniciar a análise e aproveitar, no que for possível, esses títulos a fim de formarmos uma biblioteca”, definiu o prefeito.

Ao lado de Zelito, o secretário municipal de Meio Ambiente, Pierre Dutra, afirmou que em parceria com a secretária municipal de Obras vai realizar a remoção dos itens do local.

“É inadmissível vermos essa quantidade enorme de materiais perecendo desta forma. É uma questão que envolve inclusive a saúde pública. Quanto ao lixo, faremos a remoção de imediato”, disse Pierre.

Em outro galpão, este localizado na secretaria de agricultura, mais itens abandonados. Placas de trânsito, computadores, veículos e outros livros. Já no pátio, materiais de escolas de samba e até mesmo um ônibus permanecem jogados a céu aberto em terreno da Prefeitura. Alguns com acúmulo de água da última chuva. Condições perfeitas para proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

“É incrível como conseguiram sucatear o patrimônio público. Nesse primeiro momento vamos arrumar a casa para seguir em frente. Estamos dispostos a fazer o melhor”, concluiu Zelito.