Na manhã da última terça-feira, 16, a Secretaria Municipal de Saúde, através do Programa de Saúde do Idoso, deu início ao Curso de Estimulação da Memória para Idosos cujo objetivo é promover uma melhor qualidade de vida para a melhor idade de Guapimirim. As aulas acontecerão no Centro Cultural toda terça e quinta-feira.

Cerca de 45 idosos acima de 50 anos participaram da aula inaugural, entre elas dona Emília Correia Medeiros, de 69 anos, que destacou a importância de participar deste curso. “Eu achava que estava com aquela doença do esquecimento, porque ultimamente tenho esquecido muitas coisas. Nessa primeira aula já pude perceber que este curso vai melhorar minha memória. Esta foi a melhor coisa que a Prefeitura fez de curso para as pessoas idosas”, disse dona Emília.

O curso será ministrado pelo doutor Luiz Ferreira, pedagogo, neuropsicólogo e mestre em ciências biomédicas, que destacou a participação dos idosos nessa primeira aula.  “Nossa primeira aula foi muito satisfatória. O público é muito receptivo a esse tipo de assunto. Uma vez que quando a memória começa a falhar, logo pensamos em demência. Então, quando oferecemos ao idoso um curso para trabalhar a memória, eles comparecem com toda a satisfação. Através de uma boa memória há a possibilidade de que o dia a dia melhore também”, ressaltou o doutor Luiz, destacando a estimulação contínua da memória. “Exercitar a memória é como exercitar o corpo. Quando se exercita o corpo, todo o sistema melhora. No caso da memória, a resposta imediata é através dos relacionamentos”.

Para Susiane Araújo, coordenadora do Centro de Atendimento à Saúde do Idoso, a primeira aula superou todas as expectativas. “Esta aula inaugural foi maravilhosa. É nítido o interesse dos alunos. Eles estavam com muitas expectativas e curiosos sobre como seria o curso. A aula foi bem dinâmica, alegre e extrovertida. Todos aprenderam as técnicas de memorização brincando. Creio que é um desafio para a gente, enquanto profissionais, e para cada um que encara como um desafio investir na sua saúde mental, melhorando a qualidade de vida, através da preservação da memória”, finalizou.