Por volta das 12h30 do dia 26 de junho , Thamires Saldanha, de 12 anos, aluna da Escola Municipal Maximino José Pacheco, no Centro de Guapimirim, entra no ônibus escolar, na volta do colégio para casa, cumprimenta a monitora Thaynara Menezes e o motorista Rontineli Braz, mais conhecido como ‘Tineli’, e vai para o seu lugar. Outros estudantes também saúdam com um aperto de mão, um bom dia ou boa tarde. Essas demonstrações de carinho e de cordialidade são indicativos de que a criançada gosta dos profissionais e do serviço prestado.

Recentemente, a equipe jornalística da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Guapimirim foi conhecer o funcionamento dos ônibus escolares. O serviço é oferecido diariamente aos estudantes da rede municipal de Educação que dependem do transporte por estudarem longe de casa. Ao todo são cerca de mil usuários do transporte escolar em sete ônibus e três vans.

“É muita responsabilidade levar essas crianças para o colégio, mas também é gratificante. Veja o sorriso no rosto delas e como estão felizes”, comentou o motorista Rontineli.

A dona Raunira, mãe da estudante Ariana, de 7 anos, elogiou bastante o serviço prestado pela Prefeitura de Guapimirim, disse que gosta muito e agradeceu ao prefeito por isso.

“Nós, do setor de Transporte, somos uma equipe muito unida, estamos sempre buscando atender à população. Priorizamos a segurança das crianças, gostamos de cantar com elas as músicas das escolas, queremos ser amigos delas, que elas conversem conosco e se sintam à vontade. Eu amo trabalhar com crianças, é prazeroso! Já trabalho com elas há 4 anos na creche. Esse ano me colocaram no Transporte, fui muito bem recebida pela equipe, pelo ‘Seu João’, o coordenador. Ele nos pergunta se está tudo bem, porque se acontecer qualquer coisa com elas, ele vai na casa das crianças para conversar com os responsáveis, e os pais sentem muita segurança. Nós também temos uma relação de confiança muito boa com os pais”, relatou a monitora Thaynara Menezes.

Os monitores e condutores conhecem as crianças por nome, sabem onde cada uma estuda e mora. Na volta para a casa, uma professora avisa que determinada turma não teria aula, devido a uma reunião pedagógica. E na contagem, o motorista pergunta se determinado aluno já subiu no veículo, por não tê-lo visto. O cuidado que esses profissionais têm com cada um desses jovens só pode ser comparado ao de pais com os filhos. É muito mais do que uma simples prestação de serviço. São como uma segunda família.

“Hoje contamos com uma equipe de trabalho altamente qualificada, motoristas com treinamento frequente, monitoras altamente estruturadas e com carinho especial com nossas crianças e uma frota de veículos com manutenção frequente”, contou o coordenador Escolar, João Carlos, conhecido na Prefeitura como ‘Seu João’. Ele informou que antigamente o serviço funcionava alguns dias sim, outros não, por conta da falta de combustível, mas que agora funciona diariamente.

O coordenador também disse que o prefeito Zelito Tringuelê vai frequentemente à sua sala para saber se está tudo ‘ok’ com o transporte escolar, se não está faltando nada para as crianças.

“Transportar crianças é uma responsabilidade imensa, e para fazer isso é preciso muito cuidado, respeito e dedicação. Estamos levando e buscando os filhos de muitas mães, enquanto elas trabalham. Elas nos confiam seu bem mais precioso, por isso eu digo que transportamos sonhos, esperança e o futuro. Estamos formando futuros médicos, advogados, doutores, professores, engenheiros, estamos preparando o amanhã para as próximas gerações, afinal de contas, transportar alunos é parte da melhoria da qualidade da educação”, declarou Zelito Tringuelê.